sábado, 17 de julho de 2010

Uma tela e uma sinfonia para o «Cascais» de Garrett (3)

Ao contrário, porém, do que seria de esperar, as relações relativamente próximas entre Garrett e Barreiros -- oficial do exército chegado a Saldanha, tendo travado conhecimento com o poeta quando do desembarque do Mindelo -- não foram, ao que parece, afectadas pela infidelidade da viscondessa da Luz. Prova-o a correspondência trocada entre ambos, datada de 1851, sobre assuntos de mútuo interesse, cujos excertos foram recentemente revelados por José Calvet de Magalhães na excelente biografia Garrett -- A Vida Ardente de um Romântico (Lisboa, Bertrand, 1996/.

Jornal da Costa do Sol, #1550, Cascais, 22 de Janeiro de 1998, p. 14.

2 comentários:

Vieira Calado disse...

No princípio dos anos 60 colaborei

nesse prestigiado periódico,

na página literária Varanda da Alma.

Como o tempo passa...
e, felizmente alguma coisa
do que é bom,

persiste.

Saudações poéticasa

RAA disse...

Acabou no fim de 2009, sem dar cavaco aos leitores e assinantes...
Um abraço.

 
Golf
Golf